[News] O prédio, o quarto, Erick – de Mônica Bokel

A indicação de hoje do Escrev’Arte vai para a coletânea de contos e crônicas que formam “O prédio, o quarto, Erick“, de Mônica Bokel Conceição e lançado pela editora Chiado.

O livro conta três histórias principais. A primeira se passa em um prédio invadido por sem-tetos e usuários de droga em plena Cracolândia, um dos locais mais perigosos e mau-vistos de São Paulo. É ali, nessa construção, que um estudante do interior decide alugar um cômodo e acaba se aproximando de uma  mulher viciada e seu filho.

A segunda se passa no Rio de Janeiro, num antigo casarão já demolido cuja proprietária se mantém trancafiada em seu quarto por mais de 30 anos e a última fala sobre Erick, um rapaz que viveu grande parte de sua vida dentro de um hospital do Rio de Janeiro após sofrer um grave acidente.

O que estas três narrativas têm em comum? Todas tratam de seres humanos que necessitam de algum tipo de ajuda ou amparo. Além de abordar temas ainda ignorados como o uso de drogas, o abandono e a desumanidade.

Gostou da dica? Clique aqui e compre o livro!

capaebooko_prdioo_quarto_e_o_erickTítulo: O prédio, o quarto, Erick

Autora: Mônica Bokel Conceição 

Número de páginas: 194

Compre aqui

Sinopse: 

O prédio: Próximo a Cracolândia, em São Paulo; um estudante do interior, que vem à capital, aluga um cômodo num prédio invadido, o “125”. Conhece uma mulher viciada e seu filho. Entre tramas acaba envolvido em descobertas de um passado de desilusão de seus novos e antigos moradores.

O quarto: Narrada por duas amigas, que dividem um dilema e um segredo familiar. É ambientado no Rio de Janeiro, num antigo casarão já demolido, onde sua mais antiga proprietária; uma mulher intelectualizada; vive trancada em seu quarto a mais de trinta anos.

Erick: Aceitação, o caráter e a esperança. Erick, um rapaz que morou dentro de um hospital em Santa Tereza, no Rio de Janeiro, devido a um grave acidente. Entre questionamentos espirituais, o amor e entendimento da condição humana, diante do abandono e da escolha pela felicidade.

Comente aqui... Agradecemos sua participação!