[Resenha] O Cambista do Cais do Porto, de J. C. de Toledo Hungaro – Kwabb-Fortec Editora

O Cambista do Cais do Porto - Escrev'ArteTítulo: O Cambista do Cais do Porto

Autor: J. C. de Toledo Hungaro

Editora: Kwabb-Fortec

Páginas: 350

Gênero: Romance, Romance Histórico

Fonte: Cortesia Dedicata Comunicação

Compre aqui

Sinopse: O livro “O cambista do cais do porto” conta a história de um refugiado da Europa destruída ao final da Segunda Guerra Mundial, que resolve descer por alguns momentos no cais da praça Mauá, na cidade do Rio de Janeiro, para tomar café.

O encontro com o povo da praça, seus choferes dos “carros de aluguel”, prostitutas, vendedoras e demais membros da fauna portuária, dará a ele a primeira chance de encontrar um lar.

E conta, ainda mais, as aventuras deste homem e sua atitude incorruptível de lealdade a este povo que o acolheu e seu amor a duas mulheres excepcionais. Homens e mulheres que lançaram este sobrevivente da terceira classe do velho navio que o levaria ao porto de Montevidéu e ao seu único parente vivo, para os palácios corporativos do mundo financeiro internacional e suas armadilhas.

RESENHA

Tive acesso à obra de J. C. de Toledo Hungaro através da assessoria de Dedicata Comunicação e posso dizer que foi uma apresentação ilustre! A escrita de Hungaro é envolvente e tocante. Tem a capacidade de recriar a história através dos olhos e atos de personagens fortes e únicos. Sem amarras, retrata tempos idos com gestos calculados e cheios de consequências de seus personagens. É como uma viagem no tempo com direito a sentir os cheiros, os pesos e as tensões daquela época. A trajetória dos personagens está visceralmente inserida nestas páginas.

O ano é 1946. O local é o Porto do Rio de Janeiro. O personagem é o judeu Jacobo Abrahann Martuzz. Ele é o Cambista do Cais do Porto.

Hungaro escancara nestas páginas a vida de Jacobo desde sua chegada ao Porto do Rio de Janeiro. Deixa transparente sua personalidade, manias e medos. Sua capacidade indiscutível de transformar o quotidiano e enxergar o que ninguém mais vê. É um visionário. Um homem além de seu tempo que dribla as limitações de sua época, da política, das leis e regras, dos costumes. Um homem quase comum que faz, quase que automaticamente e sem ambição, o incomum acontecer. Ao mesmo tempo é um homem frágil, temperamental, apaixonado. Um personagem e tanto!

Detentor de narrativa fluída mesmo com estilo estritamente descritivo, O Cambista do Cais do Porto é um livro indispensável para quem se interessa pela história e pelas razões que levam as pessoas a tomar determinadas atitudes. Antropológico do começo ao fim, instiga o leitor a analisar os porquês escondidos no dia a dia comum de qualquer pessoa. É uma história de vida, é uma história de trajetória humana.

Em diagramação simples, com folhas brancas e fonte em tamanho ideal, Kwabb-Fortec oferece um livro prático e sem pieguices, que combina diretamente com a força e a densidade da história. Apenas critico a capa, que tem uma proposta diretamente relacionada ao Porto, origem de todo o itinerário de vida de Jacobo, mas que precisa de um olhar mais atento para absorver claramente o objeto retratado.

Em suma, não é um livro qualquer, escrito de qualquer forma. Merece leitura atenta e envolvida. Merece que seja lido por todo leitor mais exigente.

 

Avaliação da obra
Data da avaliação
Minha nota:
51star1star1star1star1star

Comente aqui... Agradecemos sua participação!