[NEWS] Anos de Chumbo, de Letícia Magalhães

A ditadura militar no Brasil é tema de diversos livros já publicados no país e no mundo. A maioria trata-se de histórias verídicas ocorridas durante os vinte anos de golpe militar. Pessoas que foram mortas por se rebelarem ao movimento, jornais e publicações censuradas e músicos que deixavam mensagens subliminares em suas composições. É num contexto parecido com esse que se passa a história de Greta, uma jovem que decide entrar para a redação de um jornal clandestino durante a Ditadura.

Só isso já é motivo, e suficiente, para querer ler o livro. Mas caso ainda não tenha convencido, é necessário explicar que a narrativa, que se passa em Brasília e São Paulo, aborda também temas impensáveis naquela época, como incesto, homossexualidade e luta armada.

Tanta imaginação assim vem ao acaso, mas tem fundamento: a autora do livro, Letícia Magalhães, é estudante de história. ” Com certeza teve a ver com eu estudar história, e me interessar por esse período em particular, que ainda divide opiniões e impactar nosso presente”, explica.

Também aproveitamos para perguntar o motivo dela ter escolhido temas mais atuais para preencher a obra. “São coisas que são tabu e tratadas como invisíveis ou como aberrações até hoje. Então eu imaginei: e como elas seriam numa época de repressão? Porque elas já existiam, e como as pessoas encaravam isso tudo? E infelizmente essa época de repressão pode votar em breve, e como vamos encarar incesto, estupro, aborto, homossexualismo? Foram temas que escolhi para reflexão, de quem lê e mesmo para mim, que descobri coisas novas enquanto escrevia”, relata.

Ficou interessados? Anos de Chumbo pode ser comprado aqui neste link por R$43,00.

Ficha Técnica

caapa-anos-de-chumboTítulo: Anos de Chumbo

Autora: Letícia Magalhães

Número de páginas: 238

Compre aqui

Sinopse fornecida pela autora: Greta é uma estudante de 20 anos que, apesar de ter nome de estrela de cinema, leva uma vida pouco glamourosa. Ela mora com uma tia simplória e com o tio, que também é seu algoz e cabo de exército. Durante o regime militar, violentada pelo tio, ela se une a um grupo que edita um jornal clandestino, fazendo amizades, despertando paixões e ciúmes. O AI-5 é só o ponto de partida para uma história que oscila entre Brasília e São Paulo, epicentros de abusos e resistência durante a ditadura, em uma história que discute temas impensáveis para a época, como incesto, estupro, homossexualidade e luta armada.

Comente aqui... Agradecemos sua participação!