[Resenha] A Senhora do Caos – A Viajante e o Dragão, de W. F. Endlich

a-senhora-do-caos-blog-escrevarteTítulo: A Senhora do Caos – A Viajante e o Dragão

Série: A Senhora do Caos – Livro 1

Autora: W. F. Endlich

Gênero: Fantasia Épica, Aventura

Fonte: Cortesia da Autora

Skoob

E-book disponível para venda na Amazon: https://www.amazon.com.br/dp/B01GATQBY8 Apenas R$ 6,51

Página do Facebook do livro: https://www.facebook.com/wfendlich/

Venda do livro impresso através do PAGSEGURO: https://pag.ae/bmdKvYv

PDF Degustação disponível em: www.asenhoradocaos.com.br

Sinopse (Fonte: Skoob) E se você adormecesse na grama, numa tarde ensolarada e acordasse no pior pesadelo de sua vida? E se tudo que mais ama fosse tirado de você? Até onde iria para conseguir retornar pra casa? Qual preço você pagaria pra ter sua vida de volta?

Joice, uma adolescente do interior paulista vive sua maior aventura nas páginas de “A Viajante e o Dragão”. É transportada para um mundo onde magia existe e lá descobre o que é necessário para manipulá-la.

Descubra com ela que tudo o que te contaram quando criança existe! Que nosso mundo já foi território de dragões, fadas, magos e outros seres extraordinários. Viaje para o mundo que nos obrigaram a esquecer e nos disseram que era apenas fantasia. Embarque nessa jornada e desvende muitos mistérios da humanidade.

RESENHA

A saga de A Senhora do Caos já começa eletrizante. Após o sumiço do pai de Joice – não se sabe se foi sequestrado, ou o que pode ter ocorrido a ele -, sua mãe parece esconder algo e sua avó é apresentada ao leitor como uma mulher cheia de histórias fantásticas que parecem não ser somente contos irreais… Um incêndio estranho faz com que Joice perceba que ela pode não ser tão normal como imaginava, e que algo estranho ronda o sumiço de seu pai.

Um dia, Joice acorda num mundo novo e a partir daí a aventura e fantasia tomam a cena, junto a Joice, o leitor também viaja para um mundo totalmente novo e incrível!

A Senhora do Caos é um livro repleto de personagens, elementos, história, sensações e aventura. Uma das coisas que mais me chamou a atenção foi o fato de a autora fazer uma relação bastante forte com acontecimentos reais da história da humanidade, da história do nosso planeta e do universo. Acho um cuidado primoroso quando o autor se propõe a fazer esta junção de ficção com realidade. Faz com que o leitor se sinta mais inserido na história e remete a memórias e assuntos estudados ou lidos em diversas outras situações. A história com esta característica transcende as páginas do livro e envolve muito o leitor.

Algo também muito peculiar neste livro é que a magia tem um caráter extremamente diferente de outros livros com magia que eu já tenha lido. Em todos os demais, a magia é sempre um dom que alguns personagens possuem, e que ora fazem o bem, ora fazem o mal com este dom oriundo dos mais diversos acontecimentos. Não passa muito disso. Mas aqui, em A Senhora do Caos, a autora traz a magia como um “objeto de troca”, como algo valioso também no aspecto monetário e quem não possui magia deve adquiri-la, tal qual nós, simples mortais, adquirimos a energia elétrica, por exemplo. Achei uma sacada genial e interessante. Fiquei imaginando como seria interessante eu ter, tipo, um vidrinho ou outro de magia… Certamente eu daria um destino bem melhor do que o destino dado à magia recebida que… ops! Spoiler!!!

O fato de a magia ser “negociada” gera classes, que geram conflitos diversos. Muito parecido com o mundo que conhecemos. Me fez pensar que a humanidade, seja em que mundo esteja, sempre vai encontrar uma forma de “separar” as pessoas… Dá para fazer algumas reflexões com aspectos da trama, não só com a diferença de classe mas também com as consequências do que fazemos aos outros. Fica muito claro nestas páginas que a escolha entre fazer o bem e o mal é livre. Mas o retorno é sempre proporcional ao que eu causo. Sem chance de troca. Bacana. Seria bom se todos pensassem nisso antes de agir contra o outro. Vale a pena o retorno que receberei desta minha ação?

E, como não podia deixar de ser, como um bom livro de fantasia épica, você leitor irá encontrar nestas páginas muitos seres estranhos, conhecidos e desconhecidos. Dragões, Sereias, Devoradores de almas, cavalos alados… Tudo o que esperamos de uma fantasia. Mortes? Sim. Tem também! Gente que não devia morrer morre? Então… Pois é… E tem também traição, e tem também armadinhas. Muitas armadilhas. E tem também casamentos acordados para “juntar territórios”. Enfim, como eu disse acima, é um livro bem “repleto”.

Interessante que o amor perpassa todas as páginas e está sempre presente nas situações mais mágicas ou angustiantes da história. Mas fui perceber o peso dele na trama somente no final. O amor chega a ter um papel tão importante quanto a magia!

Dois aspectos me incomodaram um pouco na história e só por isso a nota foi 4 em 5. Uma delas foi a aceitação tanto de Joice quanto dos “humanos comuns” com o novo mundo em que se encontraram de repente. Senti que a situação era insólita demais para ser depreendida por eles com tanta facilidade. Neste ponto senti um tantico de falta de coerência.

O segundo aspecto que em minha opinião poderia ter sido trabalhada com mais cuidado foi uma certa transição de corpos que preenche várias páginas num dado momento da história. Eu me confundi um pouco e em alguns momentos chegava a me perguntar: Para! Quem está falando agora, mesmo? (risos)

Enfim, me encantei com alguns diálogos muito espirituosos que deram uma comicidade perfeita à trama!

“- Está bem, mas partindo do princípio que consiga participar do torneio, o que por si só é impossível, como acha que vencerá? Por acaso sabe que os competidores são cavaleiros e até metistas famosos e são… Como posso te dizer isso sem chocá-la? – escolhendo as palavras. – Não se assuste, tá? – Fez uma careta. – Eles são homens! Só os homens participarão. Acorda Kilayra, acha que abririam uma exceção para a princesa?”

Em se tratando da edição, é uma publicação independente que, embora tenha alguns erros de revisão e de diagramação, foi bem trabalhada. Creio que é uma obra que mereça ser publicado por um editora com todos os detalhes que uma publicação oficial oferecem. Recomendo!

 

 

 

Avaliação da obra
Data da avaliação
Minha nota:
41star1star1star1stargray

Comente aqui... Agradecemos sua participação!