Resenha Trilogia Slammed – Colleen Hoover, por Iara Teixeira.

Métrica122758733_2GG

Páginas – 299

Poesia, amor e tragédia

Pura poesia. Ou um baque no coração. Se apaixonar pode se cada uma dessas coisas… Quem sabe, ainda, sua doce e dolorosa mistura. Pelo menos é o que Layken está prestes a descobrir. Se ousar, simplesmente, viver.

Se escolher enfrentar o que o destino lhe reservou. Mas o destino é inexorável… E talvez a cota de dor seja mais do que ela possa suportar. Afinal, como é possível continuar seguindo quando seu coração está congelado?

Pausa

Páginas – 301

Desejo, traição e superação

Destinados um ao outro, Layken e Will superaram os obstáculos que ameaçavam seu amor. Mas estão prestes a aprender que aquilo que os uniu pode se transformar, justamente na razão de sua separação.

Essa Garota

Páginas – 330

Passado, futuro e decisão

Existem dois lados para qualquer historia. Agora conheceremos o de Will… Mas estará Lake preparada para ouvir de coração aberto o que se passava na mente do marido nos primeiros meses do relacionamento?

♥♥♥♥

Como todo bom romance, o casal encontra da forma mais inapropriada um motivo para se afastarem, porém, nenhum dos dois quer isso, apesar de saber que é o certo a ser feito.

Da forma mais simples e carinhosa essa história começa: a nova vizinha bonita, o garoto da casa em frente é gato e, tem um irmão da mesma idade do seu pra mantê-los interligados, eles dão um jeito de ficarem sozinhos no carro pra terem que passar pela constrangedora situação de quebrar o lego e fazer perguntas estranhas… Tudo normal, um primeiro encontro sensacional, onde você já acha que encontrou o amor da sua vida, e Baaam!!!! No dia seguinte o chão treme, seu estômago rejeita até o jantar de anteontem e você começa a pesar prós e contras de tudo na vida.

Isso tudo acontece no primeiro livro da trilogia com Layken e Will, nenhum dos dois queria precisava de mais alguém pra complicar suas vidas. Ela tinha acabado de perder o pai e se mudado do Texas para um lugar literalmente frio e distante de tudo que ela conhecia. Ele tinha levado um pé na bunda de quem pensava ser o amor da sua vida, logo após perder seus pais num acidente, e de quebra ele se tornou responsável por seu irmão caçula. Parece que o destino não pega leve com eles dois.

Não mesmo, porque o amor se torna proibido, as coisas só tentem a piorar com a adição de câncer do outro lado da rua, e aprenderem a se virar sozinhos é algo que terão que aprender mais uma vez, só que agora juntos.

Depois das dificuldades superadas no primeiro livro, eles tentam levar uma vida normal, cada um na sua cada, com seu irmão caçula, um casal normal que dribla o dia a dia como tantos outros por aí.

Por exemplo lidar com pré-adolescentes criativos e espertos pra “borboleta”, e um ex-namorada que não se toca e adora sentar ao seu lado nas aulas de quarta-feira. É preciso muito Slam (poesia livre recitada), estrelinhas com sábios conselhos de Julia, para lidar com a precoce vida de adultos e mais acidentes (literalmente) do implacável destino.

No terceiro livro temos algo que toda garota gostaria de ter acesso, a versão total e completa de seu amado de todos os momentos que passaram, juntos ou separados pelo acaso. Will conta pra Lake cada minucioso sentimento e desejo que teve quando estava com ela ou pensando nela desde que se conheceram, ainda ocorrem algumas novidades que boas ou ruins fazem parte da vida que os dois formaram juntos.

“Então, pode ficar com seu oceano,

que eu fico com meu lago.”

Minha visão?! O primeiro livro Métrica é uma delícia, você não consegue parar até que chegue ao fim, é riquíssimo em poesia, ortografia e vocabulário e em semântica, pois pra mim BORBOLETA nunca mais será apenas um belo inseto, passou a ser um adverbio de intensidade, garotinha esperta essa Kiersten.

Em Pausa, a vida continua e os problemas apenas mudam, mas continuam ali, e as vezes é preciso olhar para os lados para entender que o destino pode até ser cruel, mas só nos deixa no chão se não soubermos nos levantar.

Já em Esta Garota, apesar de fofo e que todas as mulheres no mundo gostariam de saber o que e como os homens pensam, acho que prolongou uma história só para que pudéssemos ter a versão de Will do inicio deles dois, já que quem narra o primeiro livro é Layken e a parti do segundo é a voz de Will que invade nossas cabeças.

Uma das coisas que aprendemos com essa trilogia, é que a vida não dá mole, e temos que abrir os olhos, a mente e o coração pra ver quem e o que pode nos ajudar nos momentos que mais precisamos, seja um amor, uma paixão como a poesia, o vizinho ao lado, um amigo, ou só o tempo.

Boa leitura a todos.

Beijos, Iara Teixeira 😉

Comente aqui... Agradecemos sua participação!