In Nomine Patris – Livro 2, de Décio Gomes – Tribo das Letras

51bMPJoJPFL._SX332_BO1,204,203,200_Título: In Nomine Patris – Sanguinis Sigillum

Série: In Nomine Patris – Livro 2

Autor: Décio Gomes

Páginas: 253

Gênero: Terror, Suspense, Fantasia

Fonte: Acervo pessoal

Skoob

Compre aqui

Sinopse (Fonte: Skoob) Ao receber uma carta de urgência, lacrada pelo selo da Ordem Mundial de Venatores, Jullian Bergamo é levado até Bedford, uma pequenina cidade longínqua cercada por uma vasta floresta. Lá, reencontra-se com o velho Mills, um venator aposentado que precisava de sua ajuda para conter um mal iminente: um ser encapuzado que estava a misteriosamente sequestrar crianças durante as madrugadas. Estudando a cidade e seus moradores, Jullian vê-se cercado por novos aliados, mas também por novos e perigosos inimigos. Pelas ruelas escuras e pelas entranhas da floresta surge, assim, uma trama onde nada é o que parece, e que pouco a pouco leva o jovem padre a descobrir sobre um terrível mal secular que, com a ajuda de uma poderosa feiticeira, de tudo fará para libertar-se das mais obscuras profundezas.

RESENHA

Este é o segundo volume da Série In Nomine Patris do autor Décio Gomes. Depois de ler este livro posso dizer que ler Albertine, a primeira obra do autor, virou questão de honra para mim (principalmente depois que soube que o Padre Julian “nasceu” nesta obra…). Décio entrou para a seleta lista de “meus autores prediletos“. Encontrei nestas 253 páginas tudo que gosto: uma história elaborada e cheia de elementos obscuros que instigam a imaginação do leitor, personagens que te deixam na dúvida de que lado pertencem, ação e movimento que envolvem a tal ponto que quase dá para sentir os cheiros da história. Tudo emaranhado mas muito claro ao mesmo tempo. Há um fio condutor que vai trazendo tanto elementos quanto mistérios à medida que passamos as páginas. Eu simplesmente adorei este movimento que a trama apresenta.

O Padre Jullian está tranquilo em sua casa quando recebe um chamado urgente. Como venator, ele não pode se esquivar de ajudar quem quer que seja, quando se trata de demônios. Ainda mais quando este chamado vem com o selo da Ordem Mundial dos Venatores. Viaja imediatamente para Bedford sem imaginar o que o espera. E há muito naquela pequena cidade esperando por ele…

Se você já leu a minha resenha para In Nomine Patris – Livro 1, já sabe que gostei demais da primeira obra. Mas nada se compara a esta continuação. Há uma densidade muito maior neste segundo livro e a aventura do Padre Jullian é mais cheia de elementos e suspense. Vários símbolos aparecem aqui e ali deixando pistas do que aguarda o leitor nas páginas seguintes. Tudo que uma boa história precisa!

Mais uma vez a escrita do autor é rápida e fluída. Dá para vislumbrar cada cena com muita facilidade e o envolvimento é imediato, tanto com os cenários quanto com a postura dos personagens. Interessante que vários deles te deixam com, como dizem, “uma pulga atrás da orelha”, mas nada determinante. Durante várias páginas eu coloquei diversos personagens em suspenso em minha análise: ainda sem decidir se confiava ou não neles. Assim foi também como o desdobramento. Em diversos pontos tinha a certeza de saber o que vinha a seguir. Como toda boa obra do gênero, eu estava redondamente equivocada. Excelente sensação literária!

De forma diferente do primeiro volume, que apresentava tão somente um demônio a ser combatido, nesta obra a situação se complica. Temos desde pessoas – estas de carne e osso mesmo – mal intencionadas, até seres alados de enorme força, passando por lugares funestos, magia e poções regadas a sangue, claro… afinal temos sangue até no título, não? “Sanguinis Sigillum“.

Em geral eu não gosto dos vilões, por questões óbvias. Mas há uma vilã aqui que me cativou. Acho que sua história ou algum detalhe dela me prendeu e eu nem mesmo sei explicar o porquê… só sei que agora estou, literalmente, entre a cruz e a espada (quem ler saberá que é literal mesmo) ao gostar tanto de Padre Julian quanto da vilã… (citar o nome dela geraria spoiler… Deus me livre de quebrar o encanto!). rogo a Deus que Décio já esteja às vias de terminar a sequência para, quem sabe, eu poder entender porque gostei tanto dela… 🙂

Em suma, pessoal, eu gostaria de mais que indicar. Gostaria de pedir a vocês que leiam esta obra! Raramente releio algum livro, por questão de tempo, mas In Nomine Patris é um que leria com gosto!

Ah, em tempo: a edição da Tribo das Letras ficou bacana, a capa continua na mesma temática do volume 1 e tudo foi feito para contribuir com uma leitura prazerosa. Mas preciso dizer: eu queria ver esta obra em capa dura e edição luxo… ela valeria o esforço! Fica a dica, Tribo das Letras e Décio Gomes. 😉

Avaliação da obra
Data da avaliação
Minha nota:
51star1star1star1star1star

Comente aqui... Agradecemos sua participação!