No Cinema com a Mi | Hoje é dia de livro: Nada, de Janne Teller [por Michelle Herrera]

Título: Nada
Autora: Janne Teller
Editora: Record
Páginas: 128
Skoob
Avaliação: 

“Nada importa.” “Você começa a morrer no instante em que nasce.” Pierre Anthon está no sétimo ano e tem a certeza de que nada na vida tem importância. Por isso, ele decide abandonar a sala de aula e passar os dias nos galhos de uma ameixeira, tentando convencer seus companheiros de classe a pensar do mesmo modo. Agora, diante da recusa do menino de descer da árvore, seus colegas farão uma pilha de objetos que significam muito para cada um deles, e com isso esperam persuadi-lo de que está errado.A pilha começa com uma coleção de livros, uma vara de pescar, um hamster de estimação… Contudo, com o passar do tempo, os participantes se desafiam a abrir mão de coisas ainda mais especiais. A pilha de significados logo se transforma em algo macabro e doentio, que coloca em xeque a fé e a inocência da juventude.Após grande aclamação da crítica e inúmeros prêmios, Nada é considerado um clássico moderno, tendo vendido cerca de 240 mil exemplares na Alemanha e com direitos de tradução para 22 países. Printz Honor de 2011.

Pierre decidiu no primeiro dia de aula que nada valia à pena, levantou-se e saiu da sala. É assim que a história começa.

Incomodados com seus discursos sobre como nada importa, as outras crianças da classe decidem que cada um deve doar algo realmente importante para si, formando assim uma pilha de significados, que mostrariam a Pierre quando terminada. Cada um deve escolher o que o outro vai acrescentar à pilha, e esse escolhe o item do próximo.
Com uma intenção aparentemente boa e inocente, as coisas acabam fugindo do controle e o que poderia ter sido um livro alegre, com uma linda mensagem, transforma-se num enredo reflexivo e por vezes até mesmo macabro. Os significados vão ficando cada vez mais intensos, começando a passar dos limites de uma maneira capaz de chocar até o mais frio dos leitores.
A narrativa é rápida, até porque o livro é bem curto, mas diversas vezes acabei deixando o livro de lado por ter ficado um pouco mexida pelos acontecimentos.
O desenvolvimento dos personagens é um dos pontos mais interessantes, vamos acompanhando como e o quanto as contribuições de cada aluno mexem não só com o dono do significado, mas também com os outros que testemunham tudo.
A autora conseguiu trazer à tona uma história polêmica, que nos faz pensar sobre qual é o limite do ser humano, até onde vamos para defender o que acreditamos e mostrar que nossa vida tem importância e propósito.
O final é surpreendente e perturbador, uma leitura que levanta muitas questões, sem dúvidas é um livro que eu recomendo fortemente.

4 comments

  1. A sinopse do livro realmente não me chamou muita atenção, mas a capa do livro é linda, foi o que de inicio me despertou curiosidade, e fiquei com mais vontade ainda de ler depois de ler a resenha. O livro parece ser realmente bom e fiquei curiosa pra saber esse final 🙂
    Beijos!

  2. Por incrível que pareça nunca tinha ouvido falar desse livro e a sua resenha mais que me convenceu a ler. Eu adoro livros com personagens bem desenvolvidos e com leitura rápida. To apaixonada pela sua resenha e espero ter a oportunidade de ler o livro em breve.
    Bjss

  3. Pela capa tinha pensado que era mais um romance, mas sua resenha me surpreendeu. Não parece ser um livro fácil de ler, mas parece ser o tipo de história que mexe com a gente e nos leva a refletir. Fiquei curiosa e quero ler!!
    Beijos!

Comente aqui... Agradecemos sua participação!