Concurso Cultural em Busca da Meta! RESULTADO

Olá pessoal, tudo bem com vocês??
Estávamos sem promoção ativa no blog nos últimos dias, e isto não está correto, concordam??? 😉
Para corrigir esta falha, o Escrev’Arte, em parceria com a Editora Schoba, lança a partir de hoje o Concurso Cultural Em Busca da Meta!
Participar é muito simples:
Você deverá responder neste post (do blog ou da fanpage) a pergunta: “Seu navio está afundando, seus livros prediletos estão a bordo… Sua meta é salvá-los! Como agiria???” Inclua o seu endereço de e-mail na postagem através do blog, para ser avisado caso seja o vencedor (pela fanpage não é necessário).
Regulamento:
1. O recebimento de respostas encerrará no dia em que o blog atingir o número de 1000 seguidores, às 23h59.
2. Em até 2 dias, eu e uma representante da Editora Schoba escolheremos a melhor resposta.
3. Um e-mail será enviado ao ganhador ou ganhadora, que deverá responder com seus dados de envio em até 72 horas.
4. Caso o ganhador não retorne o e-mail, a segunda melhor frase será a vencedora, e assim sucessivamente até termos o retorno do ganhador.
5. O prêmio será um exemplar do livro “Costa Concórdia – Crônicas de um Naufrágio” do Autor J. Quercus. Veja abaixo a sinopse do livro:
O naufrágio do Costa Concordia é um tema de domínio público. O navio ainda está lá, emborcado, defronte à Ilha de Giglio, e até hoje ainda não deixou de ser notícia. Todos sabem o quê e como tudo aconteceu.
Mas, se é de domínio público o fato, não o é o sentimento de quem navegou pelo mar Mediterrâneo a bordo do transatlântico, desfrutando de momentos inesquecíveis naquela mansão flutuante.
É do ponto de vista dos passageiros que o livro narra a viagem e o naufrágio. Em estilo leve, mas instigante, o autor leva o leitor para dentro do navio, serve-lhe de guia nas visitas às cidades portuárias, acompanha-o no cruzeiro, até que “rasgado como uma virgem quando entrega suas primícias, o casco permitiu que as águas inundassem as entranhas do navio, transformando o Costa Concordia em mais uma triste história, dessas que contam sobre paraísos perdidos”.
Além do livro o ganhador receberá em casa marcadores e mimos!

MUDANÇAS NO CONCURSO!!!! PARA MELHOR, COMO SEMPRE! ^^

Além de Costa Concordia, mimos e marcadores, decidimos por enviar também ao autor ou autora da melhor frase um exemplar de ENDERS! Starters foi o primeiro livro sorteado aqui no Escrev’Arte, então achamos justo comemorar a meta de mil seguidores com o segundo livro da série, não é?

Gostou? Então participe e ajude a divulgar… Quanto mais rápido o blog atingir a meta de mil seguidores, maiores suas chances de ganhar!!!
Beijos, e soltem a criatividade!!!

Pessoal! Quando o blog atingiu mil seguidores, numerei os comentários abaixo, sem nome para não ter influência alguma, e encaminhei para a Editora Schoba. A Resposta enviada foi:

Sobre o Concurso Cultural, ri demais com algumas respostas! Principalmente com a 2 e com a 5. Mas me apaixonei pelo 8! Até arrepiei! Fantástica.

Nós, da Schoba, votamos na 8 <3.


Resposta 8:
Meu navio está afundando! Por onde devo começar!
Devo começar mergulhando? Numa história ou no mar?
Devo surfar nas memórias, nos bons momentos, ou nas páginas?
Devo viajar por tantas glórias, romances, lástimas?
Meu navio está afundando! Meus livros! Oh Senhor!
Abro meu favorito e dele surge o mocinho de uma história de amor!
Ele me põe em seus braços e me diz para não me preocupar…
De outra página aberta, surge uma nave no ar!
Penso em embarcar, mas já há água no chão…
Meu Deus do céu! Não lembro! Haviam livros no porão?
Decido ficar com minhas histórias… e já estou a me lamentar…
Quando ouço das memórias, um breve som a soluçar…
Vozes entre aspas, outras tantas, iniciadas por travessão
Amigos, companheiros de madrugadas
Que tantas vezes, seguraram minha mão!
Eles me dizem salve-se… não nos lamente não…
Cumprimos nossa meta… e ainda que o barco afunde as páginas…
Nossas histórias vivem em seu coração!
A autora desta resposta foi Lavínia, como podem ver abaixo. Um e-mail já foi enviado e ela já respondeu! Parabéns Lavínia!!!! E obrigada a todos que participaram! 🙂

22 comments

  1. Oba! Adorei!
    resposta rápida, afinal, um navio não leva muito tempo para afundar >.<
    Como o navio é meu, devo ser a ultima a embarcar no bote após me assegurar de que todos estavam em segurança, meu tempo é curto e eu teria pouco tempo para salvar meus livros prediletos antes de subir, roupas são supérfluas em comparação conteúdo das folhas de papel. Os botes salva-vidas costumam ser coberto por lonas então enquanto os passageiros embarcavam para os botes eu correria para pegar meus livros, pilha-los na lona e amarrar bem, vedando o plastico e torcendo para o tecido grosso preservar o ar em seu interior! Arrastando-o para uma área aberta do navio. Então em embarcaria no bote, seria complicado trazer TANTOS livros…. Afastada, veria com tristeza meu navio afundar, mas sorriria quando a lona emergisse com meus preciosos bebes…
    (uffa!)
    Espero ter sido criativa o bastante ♥ e-mail aciburn27@gmail.com
    Bjus bjus!
    Pan
    Pan's Mind – Concurso Cultural I Like Movies!
    Pan's Mind – Sorteio de Ano Novo!

  2. Oii!!
    Supondo que o navio é meu e que eu coloquei os meus livros a bordo, vou supor também que estou sozinha no navio com os livros, curtindo uma longa viagem em companhia deles, de modo que só preciso me preocupar com os livros.
    Agora, como salvá-los? Infelizmente, seria difícil chamar um resgate por rádio para salvar livros. Então, eu chamaria o resgate para salvar passageiros (inexistentes), e faria o desastre parecer muito maior do que era de fato. Quando o helicóptero chegasse, os livros estariam encaixotados da melhor maneira possível. Então eu pularia no bote, de olho, gritando para que salvassem os livros primeiro.
    PS: depois disso, teria muito tempo para ler quando estivesse presa.haha
    carol_policarpo1@hotmail.com

    Caroline

  3. Olá!
    Bom, inspirada pelo livro "O Nosso Homem em Havana", solto minha imaginação!
    Do mesmo modo como no livro, eu seria uma agente secreta do governo e no instante que percebesse que meu navio estivesse afundando com meu arsenal de livros indo por água abaixo, comunicaria meus subagentes em Londres.
    Alguns minutinhos mais tarde, toda uma esquadrilha de aviões do exército estaria acima de minha cabeça, prontos para o resgate dos meus preciosos e insubstituíveis livros!
    Adorei a promoção! e-mail ♥ desy.vt@hotmail.com
    Beijocas!

  4. Supondo que eu não esteja sozinho empurro todo mundo no mar para poder colocar todos os meus livros nos botes salva-vidas e seguir para uma ilha deserta, onde me esconderia até ler todos mil vezes e precisar de mais.

    rsrs 😉

    terradefagulhas.blogspot.com

  5. Bom, supondo que o navio seja realmente meu, vamos lá.
    Primeiro eu não levaria todos os meus livros que eu adoro para um navio, supondo que a viagem teria duração de mais ou menos uma semana, então levaria no máximo cinco livros para ler durante essa minha viagem. Já que o destino era bem rápido e na embarcação, só havia eu, o capitão e seu assistente.
    Na hora em que percebo que meu navio está afundando e os meus cinco livros prediletos podem ir embora, pego uma grande lona, coloca os livros dentro de uma mochila e encubro a mochila com a lona e seguro como se estivesse segurando um bebê nos braços e mando o capitão pedir ajuda, dizendo que há uma criança na embarcação. Quando o socorro chegar subo primeiro, atestando estar com uma criança nos braços hahahaha.

    http://rascunhosdodudu.blogspot.com.br/

  6. "Seu navio está afundando, seus livros prediletos estão a bordo… Sua meta é salvá-los! Como agiria???"

    Tudo bem, estou num navio e meus livros estão guardados lá embaixo, junto com alguns itens básicos. Corro até lá descendo as escadas as escadas o mais rápido que posso. Organizo os livros em pilhas (sim, são muitos!) e levo para a parte de cima do navio.

    Mas quando chego lá encima, percebo que a ponta do navio começa a imergir. E agora?!

    Desço novamente até o "porão" do navio e procuro algum material para envolver os livros mas percebo que a água já está no meu joelho! Não resta outra alternativa: vou até um pequeno cômodo que usava como quarto e arranco a porta de compensando com alguns puxões e chutes. Arrasto-a até a proa do navio, coloco os livros encima e fico esperando o inevitável. O navio afunda e cá estou eu me apoiada na porta de madeira que boia, sustentando minha Rose, digo, meus livros rs

    maressadess@gmail.com
    (desconstruindoaspalavras.blogspot.com.br)

  7. Olá . Sejamos sinceros rsrs não tenho navio nenhum ..
    Um navio de mais de 300 metros demora muito tempo para afundar , certamente daria para eu me salvar e os livros também a tempo do navio afundar completamente.
    Usando o raciocínio : Me colocando em uma situação de risco , eu a bordo de um navio transatlântico com mais de 250.000 metros . O naufrágio em um navio desse porte causaria um desespero enorme , imagine todos loucos querendo se salvar e lógico eu também . Nessa situação no que você pensaria ? Não iria pensar direito é claro , decerto entro em pânico e só sei que não quero morrer . Não me lembro dos livros que eu trouxe para ler na viagem , não lembro das roupas , dos objetos , não lembro de nada . Entro em um dos bote juntos com outras pessoas e fico a deriva no mar , esperando o resgate .

    Enfim , sã e salva . E agora eu penso , perdi tudo , os LIVROS ..
    Vou em busca dos meus direitos , entro com um pedido de ressarcimento . Serei indenizada pelo que paguei no pacote turístico e pelas despesas feitas com a viagem.
    Serei indenizada por danos morais e materiais , um caso como esse , de grandes proporções , danos , seria ganho por justa causa . É certo que o dinheiro não iria devolver minha saúde mental . Mas me referindo a pergunta , eu iria ganhar muito mais do que perdi .
    #Uso essa resposta com a lógica , nessa situação não haveria como pensar em qualquer material pessoal . Minha vida vale mais do que qualquer objeto que eu tenha perdido nesse naufrágio .

    raquelzinha-151@live.com

  8. Meu navio está afundando! Por onde devo começar!
    Devo começar mergulhando? Numa história ou no mar?
    Devo surfar nas memórias, nos bons momentos, ou nas páginas?
    Devo viajar por tantas glórias, romances, lástimas?
    Meu navio está afundando! Meus livros! Oh Senhor!
    Abro meu favorito e dele surge o mocinho de uma história de amor!
    Ele me põe em seus braços e me diz para não me preocupar…
    De outra página aberta, surge uma nave no ar!
    Penso em embarcar, mas já há água no chão…
    Meu Deus do céu! Não lembro! Haviam livros no porão?
    Decido ficar com minhas histórias… e já estou a me lamentar…
    Quando ouço das memórias, um breve som a soluçar…
    Vozes entre aspas, outras tantas, iniciadas por travessão
    Amigos, companheiros de madrugadas
    Que tantas vezes, seguraram minha mão!
    Eles me dizem salve-se… não nos lamente não…
    Cumprimos nossa meta… e ainda que o barco afunde as páginas…
    Nossas histórias vivem em seu coração!

    (em suma: eu ia ficar pirada sem saber o que fazer e provavelmente morreria afogada)
    (em suma 2: porque raios eu ia levar todos os meus livros num navio? todinhos? Really?)
    (em suma 3: ai meu Deus! Morri!)
    (E por fim: adorei a pergunta! Mas dúvido que tenha paciência pra ler minha resposta toda… hahah)

    Lavinia Talita Sobral SAcramento
    lavinia_talita@yahoo.com.br

  9. Eles gritaram que o navio estava afundando, os equipamentos não funcionavam e muita água já invadira parte da embarcação. Os tripulantes corriam de um lado para o outro, na tentativa de organizar o salvamento do grupo de passageiros apavorados. No meio do caos, lembrei-me dos livros que trouxera para ler durante a viagem, eu precisava salvá-los, mas ninguém me deixaria levar minhas queridas leituras em um bote que vagaria no meio do oceano. Corri para o quarto, seguindo na direção contrária dos demais… Chegando lá avistei um baú de tamanho mediano. É isso, pensei. Encontrei alguns sacos plásticos e embalei todas as obras, várias vezes, os livros ficaram embalados com pelo menos cinco sacos plásticos cada. Por fim coloquei todas aquelas histórias que me acompanharam pela vida dentro do baú e tranquei-o com um cadeado, se um dia alguém o achasse encontraria um verdadeiro tesouro, o meu tesouro.

    Bom, é isso, Nadja. Criei uma historinha e, na situação apresentada, não sei se conseguiria salvar os livros e continuar com eles, mas ficaria feliz que anos depois os livros fossem encontrados e vistos como um verdadeiro tesouro.
    Abraços.

    Rogério Queiroz
    rogerseliga@gmail.com

  10. Como acredito que não estaria sozinha, eu deixaria o navio afundar e iria pedir ao meu pai (Poseidon) que me ajudasse a manter os meus bebês <3 secos. Depois disso nos mandar para uma ilha deserta com comida rsrs para vivermos felizes, meus livros e eu.
    Não é perfeita, nem melhor minha historinha, mas me deu muitos sorrisos escrevê-la.
    Beijocas ^^

  11. Pergunta: Seu navio está afundando, seus livros prediletos estão a bordo… Sua meta é salvá-los! Como agiria???

    Resposta: Eu sou uma pessoa sempre muito precavida contra desastres, sei que parece mentira ou paranoia, mas é verdade, você pode perguntar para qualquer um da minha família ou amigos. Eu digo apenas que é extinto de sobrevivência.
    Quando a levar meus livros preferidos para um barco, acho meio impossível, mas supondo que eu os leve para um passeio em um barco/navio e tenha que salvá-los de um desastre marítimo no mesmo (e eu tenha tempo para salvar todas as pessoas a bordo e tudo que eu precisar), primeiro eu correria para o rádio, chamaria ajuda por ele, avisando da localização e do número de pessoas a bordo, avisaria as pessoas para se apressarem e por os coletes salva-vidas e pegarem o que precisam. Depois eu correia para o quarto e escolheria colocar meus livros dentro de uma daquelas caixas térmicas marítimas, já que elas são isoladas termicamente, podem proteger os livros das mais diversas situações, então, eu pegaria o barco/bote salva-vidas, colocaria os livros dentro da caixa térmica, pegaria comida e água e poria em outras caixas térmicas, pegaria o kit de primeiros socorros e a bolsa com celular (de preferência um que seja via satélite) pularia no barco salva-vidas, ajudaria as pessoas a se alojarem e esperaria pelo resgate.

    ———————————————————————————————————–

    nome: Luiza Ceotto
    email: luizaceotto@hotmail.com
    facebook: https://www.facebook.com/luizaceotto
    twitter: https://twitter.com/deliriosdaluh
    página: https://www.facebook.com/LivrosMaisLivrosEeu
    colunista do blog: http://loucaescrivaninha.blogspot.com.br/

Comente aqui... Agradecemos sua participação!